Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Apesar dos produtores do Grammy terem dado o sangue para agradar deuses e monstros levando o maior número de artistas grandes que puderam, a fim de agradar o maior número de públicos, o resultado final foi quase um fiasco: o Grammys teve a pior audiência de todos os tempos dessa premiação.


Será que estamos vendo o fim do Grammy? Estatísticas mais precisas poderiam confirmar ou negar essa questão, porém, na ausência delas, podemos levantar teorias sobre o futuro da maior premiação de música com base em seu histórico e atual momento.




Desde 1959, o Grammy presenteia anualmente os profissionais da indústria musical com o prêmio Grammy, em reconhecimento à excelência do trabalho e conquistas na arte de produção musical e, provendo suporte à comunidade da indústria musical. De lá para cá, muitas águas e músicas rolaram no palco da premiação e muitos foram os anos de extremos sucesso.


Grandiosos nomes da música mundial receberam Grammy e se apresentaram no palco da premiação. Dentre eles, Diana Ross, Michael Jackson, Steve Wonder, U2, Aretha Franklin, Paul McCartney, Whitney Houston, Mary J. Blige... Unir todos estes nomes em uma mesma cerimônia, podia esperar que até os céus paravam para assistir esse momento. Com isso, o poder da premiação somente crescia e cada vez mais, aumentava-se o desejo por receber a famosa estatueta de gramofone, mas se prestarmos atenção, pouco se via artistas pops na lista de premiados.


Foi no início dos anos 2000 que o pop começou a ganhar destaque no Grammy e por este motivo, fez com que a premiação tivesse as maiores audiências de todos os tempos. Principalmente porque foi a era em que as tecnologias começaram a caminhar com o advento da internet e aumentou-se a propagação deste mega evento para o mundo todo conhecer e amar. E quem mais estava na internet? Os jovens! Foi nessa era que víamos nomes pops ganhar como: Madonna, Mariah Carey, Christina Aguilera, Destiny's Child, Shakira, Alicia Keys, entre outros.


Apesar do Grammy começar a nomear e premiar jovens artistas pop, ele segurou muito as rédias da premiação para agradar gregos e troianos, porém com isso, acabou desagradando a todos, inclusive aos popianos, que não gostaram nadinha de ver nomes grandes como Britney Spears, N'Sync, Backstreet Boys, Kylie Minogue, Jennifer Lopez, entre outros serem indicados e perder ano após ano. E foi assim durante muitos anos, mas não o suficiente para novos visionários perceberem o potencial do pop e entregar aquilo que nós queríamos!


Confira os cantores mais premiados na história da música!


American Music Awards, Billboard Music Awards e o VMA da MTV começaram a peitar o grandioso Grammy ao entregar muito mais pop! Foi uma massificação só do melhor do pop em cada premiação e a gente é quem ganhava com essa competição: performances icônicas, lives memoráveis, bafos e tudo mais que até hoje marcam história nas carreiras de grandes cantores, como foi o caso do beijo lésbico da Madonna, Britney Spears e Christina Aguilera há quase 20 anos atrás. Pergunte se isso aconteceu no Grammy? NÃO! Não aconteceu...


Quando percebeu que as outras premiações sabiam mostrar muito mais pop, o Grammy começou a dar uma de "diferentão" e levar somente quem eles achavam bons o suficiente para serem premiados, e não mais como eles se propuseram no início de tudo: "premiar em reconhecimento à excelência do trabalho e conquistas na arte de produção musical". E esse foi o segundo golpe que ele deu em si mesmo para a queda de um império, porque os grandes nomes já nem era mais indicados. Madonna já nem pisava mais no palco da premiação, Mariah Carey ia por conveniência, Mary J. Blige esquecida no parquinho... mas ainda assim, a premiação tentava barganhar audiência levando grandes performers como Katy Perry, Rihanna e até Nicki Minaj (mesmo se arrependendo depois).


Quando o Grammy começou ignorar grandes nomes da música e não excluiu alguns nomes, ficou bem claro para muitos que a premiação teria sido comprada por um grupo poderoso que passaria a proporcionar a divulgação e promoção de seus nomes artísticos. Grupo este que prevalece até os dias atuais e vem premiando discretamente a sua rainha, que nunca deixou de dar as caras em todos esses anos. Há boatos de que a compra tenha sido realizada em meados de 2010, mesmo ano que a premiação teve a artista feminina com maior número de vitórias numa edição. (Reparem só o mimo em querer destacar a pessoa a qualquer custo! Como ainda não era a mais premiada de todas, destacaram da forma que dava para homenagear a suposta nova patroa).


Em 2021, acredita-se que ficou bem claro que o Grammy não é mais o mesmo e que está nas mãos da parcialidade de seus donos: "os patõres", como chamam por aí... Álbuns e canções premiados que não contemplam nem a realidade do que já foi a decisão da academia, quem dirá do que foi considerado merecido pela massa. Presenças vips e performances duvidosas, logo num período caótico que vivemos em pandemia... Pessoas certas, nas horas certas, fazendo reações certas para as câmeras certas e tudo nos conformes do ensaiado. 


O Grammy chegou ao fim?


Se tomarmos base o Grammy que pegava os grandiosos que faziam sucesso para mostrá-los a massa e premiá-los, já que não existia internet para os mesmos fazerem isso, podemos dizer que está premiação morreu há muito tempo, pois a era em que vivemos, cada artista tem o poder de autopromover sua imagem para a massa, sem precisar da audiência da TV. E esse potencial da internet hoje, faz com que a gente não mensure mais grandes de pequenos, mas sim, os que estão no top dos que não estão. Atualmente uma pessoa com uma única música, já consegue chegar no topo das paradas, sem ter álbum lançado, sem gravadora grande, sem videoclipe, sem empresário, sem histórico algum na música ou apadrinhamento. O Grammy que antes premiava artistas com todas essas coisas, atualmente não premiaria mais.


Se tomarmos base o Grammy dos anos 2000 que pleitava o que era bom os ouvidos da massa, podemos até perceber uma tentativa de vida nos dias atuais, quando podemos ver nomes fortes da atualidade participar e até ganhar estatuetas, mas quando se trata de resgatar nomes que foram grandes, esse Grammy também chegou ao fim, mostrando também que os novos patrões não vão premiar ninguém de suas eras, a não ser, eles mesmos, para sua vanglória. 


Se tomarmos base pelo Grammy "diferentão" que procurava ser seleto e único, ditando regra do que pode ser promissor para as novas gerações e o que é bom de verdade para gostos não-duvidosos, podemos avaliar que este Grammy não andará muito até morrer, visto que com a máxima gama de oferta de músicas e artistas novos na internet, "apadrinhamentos" ficou para trás na era do "do it yourself". 


"Corruptos" é a melhor verdade que podemos concordar com o The Weeknd sobre o Grammy. Quando surge o interesse de um grupo a fim de conquistar cada vez mais poder em cima da massificação quase que exclusivamente de seus produtos, surge também a alienação da massa e consequentemente a escravidão que por toda a história do homem, tem sido algo condenável.


Se o Grammy acabou de vez ou se o fim dele está próximo, somente o futuro poderá dizer ao certo. Por enquanto, nós, reles seres sem gramofones, podemos somente especular, aplaudir ou criticar o presente. E o que você tem feito diante todas as edições do Grammy?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]