Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

Finalmente a eterna Rouge Aline Wirley lançou o seu álbum solo! Indômita já foi lançado nas plataformas digitais e nós vamos comentar faixa-a-faixa dando nossas primeiras impressões sobre o álbum.


Aline Wirley estava para lançar seu álbum solo quando de repente veio o boom do retorno do Rouge e ela teve que guardar na gaveta este projeto, mas agora nada a impediu de dar a luz a esta obra que vamos criar em casa, com certeza!

Como de praxe neste blog, vamos começar as primeiras impressões deste álbum julgando-o pela capa, que por sinal, está muito elegante e eleva o padrão para um nível muito além deste tempo. Dá para ver arte e design bem distinto. Acreditamos que será isso que vamos encontrar no álbum Indômita.

Vamos começar a avaliar música por música do álbum da Aline Wirley!

1. A Transformação dos Paradigmas

A primeira música do álbum Indômita é um interlude bem gostoso de ouvir e dá aquela sensação de que é uma iniciação para uma experiência mágica e poderosa. Com certeza é um ótimo portal para um mundo inexplicável que vamos ouvir desta faixa para frente!

2. Oração

Aline Wirley começa de fato o seu album com uma oração e não é qualquer oração, é a poderosa oração de São Francisco de Assis que ganhou uma interpretação e um som intenso que eleva mais ainda o poder dessa música.

3. Mandíbula 

Assim como as músicas anteriores, Mandíbula traz um som agradável e uma letra profunda, misturada ao ritmo brasileiro elevado a um nível muito superior do que conhecemos popularmente no Brasil.

4. Curva do Rio

Uma das melhores músicas do álbum Indômita sem dúvidas é Curva do Rio, que nos introduz num ritual de amor por essa diva poderosa. Dá até pra dizer que o sumo do álbum está nessa canção. Se você não gostar desta música, é mais do que provável que não goste do restante do trabalho.

5. Ragatanga

Ex Rouge não, Aline Wirley é eterna Rouge e com muito orgulho ela trouxe em seu álbum um remix de duas das músicas mais famosas do Rouge: Ragatanga e Brilha La Luna. Em Indômita, estas músicas foram agraciadas com diversos ritmos que compõe a nossa musicalidade brasileira.

6. Indômita

A faixa-título do álbum é um samba bem metalizado com batida e efeitos de voz que deixa a música mais empolgante e envolvente.

7. Para o Novo

Por falar em música envolvente, se segura para ouvir Para o Novo, que é um convite indispensável feito pela Aline Wirley para nós produzirmos e oferecermos mais amor. 

8. Não Há o Que Temer

Para finalizar esta experiência mágica, Aline Wirley fecha o ciclo de Indômita com a canção "Não Há o que Temer" que dá uma sensação de mantra para nos confortar e nos proteger de todo o mal! Se ela diz, tá 'dizido'.

Em Indômita Aline Wirley mantém um som mágico com batida eletrônica misturado com instrumentos e musicalidade brasileira e letras místicas que dão gosto de ouvir e cantar. De fato, o álbum nos leva a uma viagem muito doida que é deliciosa e suave. Uma experiência gostosa.

Já ouviu o novo álbum da Aline Wirley Indômita? O que achou dele? Deixe sua resposta nos comentários ou chama a gente nas redes sociais: @muitomaispop no Instagram, Facebook e Twitter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]